Relatorio de Empregos 2017

Abrindo bastante o campo de visão, parece que não há no horizonte nada além de infinitas oportunidades para talentos de projeto.

12 de abril de 2017

 

 

Abrindo bastante o campo de visão,

parece que não há no horizonte nada além de infinitas oportunidades para talentos de projeto. Essa visão otimista é refletida pelo sol econômico: o Banco Mundial projeta um crescimento global do PIB de 2,8% em 2017 e 3% em 2018, um aumento bem-vindo comparado aos 2,4% do ano passado.

Mas os profissionais de projeto em particular sabem que a previsão varia conforme a localidade. Olhe mais de perto para determinadas regiões, e a incerteza e a instabilidade são fáceis de detectar. Não se espera que a economia em desaceleração da China retome velocidade este ano. A recessão e os problemas políticos do Brasil continuam arrastando-se. E a Brexit do Reino Unido paira como um ponto de interrogação — não só na Europa, mas também na cabeça dos líderes de negócios no exterior.

 


 

Brasil

Desvantagem competitiva

As Olimpíadas já ficaram para atrás — e a corrida para concluir projetos de infraestrutura para os jogos já não pode distrair a maior economia da América Latina de uma realidade sombria. A recessão que atingiu o Brasil oficialmente em agosto de 2014 continua, e a corrupção governamental criou um tumulto na liderança. O desemprego nacional deverá subir para cerca de 12% este ano. Com empregos e salários em queda, a economia — e as oportunidades de projetos — não param de encolher.

“O gerenciamento de projetos, como carreira está sendo profundamente afetado por esse cenário econômico: menos investimento significa menos projetos sendo lançados, porque as empresas estão em standby, à espera de financiamento”, disse Alex Julian, PMP, chefe de operações de mudança e serviços entre produtos, Banco Bradesco, São Paulo, Brasil.

Ao mesmo tempo em que muitos projetos de despesas de capital foram arquivados ou adiados devido à falta de financiamento, as organizações estão redobrando as iniciativas de transformação que possam reduzir as ineficiências e otimizar as operações. “As empresas brasileiras estão à procura de gerentes de projeto que pensem com a mentalidade do proprietário, sempre procurando maneiras de proporcionar ganhos de eficiência e fazer mais com menos”, disse Alex.

Os candidatos precisam aprender a mudar de pista, também. A queda da atividade nos setores de construção e de petróleo e gás estão forçando alguns profissionais de projeto a ir para TI, telecomunicações e serviços financeiros. Ter um histórico comprovado de alongamentos de recursos e de motivação de membros de equipe facilita a transição, disse Alex.

“Algumas empresas estavam menos preocupadas com custo ou escopo no passado porque havia muito dinheiro, mas agora as restrições de orçamento significam que mais CEOs estão interessados em metodologias, processos e controles”, disse ele. “Isso contribui indiretamente para que a profissão de gerenciamento de projetos cresça em maturidade aqui”.

 

 

 

Para visualizar o artigo completo, associe-se ao PMI.

 

Fontes: Relatório de empregos 2017, de KATE ROCKWOOD (ILUSTRAÇÃO DE PETER AND MARIA HOEY). PM Network – Edição Janeiro 2017, PMI.org; PIB: Fundo Monetário Internacional, Salário mediano de profissional de projetos: Earning Power: PMI Project Management Salary Survey (Ganhando poder: pesquisa de salários em gerenciamento de projetos) — Nona edição, PMI, 2015

 

© Este material foi reproduzido com permissão dos detentores dos direitos autorais. Reprodução não autorizada deste material é estritamente proibida. Para obter permissão de reprodução deste material, por favor contacte o PMI.


Créditos da Notícia: PM Network – Edição Janeiro 2017, PMI.org;
Créditos das Fotos: ILUSTRAÇÃO DE PETER AND MARIA HOEY
Fonte: Relatório de empregos 2017, de KATE ROCKWOOD